Ordem das Palavras no Japonês

“Verbo principal sempre no final da oração.”

– Esta é a regra máxima da sintaxe do idioma japonês.

Costuma-se dizer que o sistema de sentenças no japonês é o S-O-V (sujeito-objeto-verbo). Isso em parte é verdade, mas analisando mais detalhadamente percebemos que não é bem assim.

Para facilitar a distinção, entre a maneira de montarmos frases em diferentes idiomas, podemos usar os termos S-V-O e S-O-V.

Muitos blogs e sites sobre o ensino de japonês, destacam isso somente para chamar a atenção dos leitores.

Na verdade, no idioma japonês, o sujeito e o objeto têm uma colocação mais livre dentro de uma oração. Os mesmos vêm marcados por joshi (partículas) que, anexadas à palavra, indicam sua função sintática.

Exemplo:

私は彼に手紙を書いた

watashi wa kare ni tegami wo kaita.

watashi = eu (sujeito)

kare = ele (objeto indireto)

tegami = carta (objeto direto)

kaita = escrevi (verbo)

wa ni o = partículas

kare ni watashi wa tegami o kaita.

tegami o watashi wa kare ni kaita.

kare ni tegami o watashi wa kaita.


Tradução:

Eu escrevi uma carta para ele.

Como podemos ver, a ordem dos termos não altera, em essência, o significado e uma oração, desde que as respectivas partículas estejam anexadas e o verbo seja mantido no final.

Porém, quando tratarem-se de termos complementares de orações, como adjuntos, o quadro se mostra diferente.

Visto que na língua japonesa, o modificador sempre vem antes do modificado, não podemos trocar a ordem dos elementos em casos de combinações do tipo “adjetivo + substantivo“.

Exemplo:

赤い車(あかいくるま)
akai kuruma
carro
vermelho

E NÃO 赤いくるまあかい
kuruma akai
vermelho carro ???

Existem também as partículas como no, cuja inversão dos termos acaba invertendo o significado, como em:

工場時計 こうばとけい
kouba
no tokei ⇒ relógio da fábrica

時計工場 とけいこうば 
tokei
no kouba fábrica de relógios

Deixe Seu Comentário